quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Fim de ano com Roberta Sudbrack


Tudo começou com uma noite em que eu já havia bebido um pouquinho, já estava meio 'alto'e twittei a Roberta Sudbrack perguntando qual seria a programação do RS. Só meio fora de si pra tentar ir na RS de uma hora pra outra e ainda por cima disposto a pagar o menu degustação 'Experiência Sudbrack'. Depois viria perceber que na verdade qualquer pessoa em sã consciência deveria passar pelo que passei.

Depois de saber que o RS funcionaria até o dia 30.12, liguei, e obviamente estava totalmente reservado. Deixei meu nome na lista de espera e comecei a sonhar com possíveis desistências... Alguns tweets pra lá... outros tweets pra cá e a gerente do RS, extremamente atenciosa por sinal, me ligou confirmando a minha reserva! Adrenalina... êxtase... emoção... ansiedade...

Quem me conhece sabe que sou a ansiedade em pessoa! Fiquei pilhando o pessoal que iria comigo para não atrasarmos e conseguimos chegar às 21:45h (a reserva estava marcada para as 22h). Já adianto que saimos do RS por volta das 02:15h. Vejam... não é qualquer experiência... são inúmeras sensações que vocês devem se permitir! Se acabasse às 05:00h da manhã, eu admito que não reclamaria!

Escolhemos pela experiência de 8 pratos, que, no final, foram uns 300 pratos, além de 2 garrafas de espumante e 1 de vinho... Eu nunca havia me deparado com um mise en place desse porte... se vocês aprenderam a contar só até 10, não vão conseguir contar qtos talheres estão na mesa. Mandei ver na tradicional regra do 'vai de fora pra dentro' e tudo correu bem!



Pra começar a brincadeira, vieram alguns pãezinhos (se é que eu posso chamar aquela 'deliciosa massa' de 'pãozinho') com manteiga aviação sem sal, porém salgada especialmente pela RS. Era possível sentir o sabor único do pãozinho...
Ainda, veio uma espécie de pão de queijo feito com massa de carolina e queijo gruyere, que simplesmente desmanchava na boca.





Com o estômago forrado... vieram as gemas caipiras... mas vejam... só as gemas, com quinoa. Mas quinoa, quinoa? Não man... quinoa frita e quinoa cozida. Demi-salgadinho... muito bom! A gema, depois de penetrada, espalhava seu líquido no recipiente.



Detalhe da cumbuquinha que trouxe as gemas...



Em seguida, veio o famoso aspargo em caramelo picante! No aspargo, a cada centímetro de comprimento tinha uma ervinha diferente que transformava o aspargo em várias viagens diferentes!



Agora... o próximo prato foi algo fora do comum-explicável-entendível-do-universo-astral: camarão croustillant em tartare de tomate e lichia. Meu, sério... primeiro, o camarão nesse tal de croustillant, veio em um ponto de cozimento totalmente ótimo. A lichia... cortada em mini-cubículos dava um sabor totalmente diferenciado. Não podemos nos esquecer do hortelã ultré-ultré-fino que só jogava o sabor exponencialmente pra cima!





Todos já comentavam outros detalhes do lugar: a luminosidade, a atenção do Alexandre (que servia nossa mesa), o conforto, enfim... já estávamos totalmente inseridos e tomados pelas sensações...

O peixe, foi um vermelho em vinagrete crocante de maxixe. Maxixe... a primeira coisa que veio na minha cabeça foi a dança do maxixe, que é um homem no meio com duas mulheres fazendo sanduíche. Eu, na minha total ignorância gastronômica, apreciava cada garfada sem imaginar a dificuldade de fazer cada prato... me 'limitava' ao sabor... que estava distante de tudo que já havia apreciado... mas muito distante... mas muito, muito, muito... Sabe quando você compara uma coisa com outra e fala: "ah, está em outro patamar, não dá pra comparar". Então... no RS você estará MUITOS patamares acima...



Pedimos ao Alexandre, que nos trouxe um maxixe pra gente ver... e, enfim, tirar a música da minha cabeça!



Os próximos pratos, digo próximos, pois pedimos um repeteco! kakakakaka Admito que se fosse pra eu escolher um para repetir, teria escolhido o camarão croustillant, mas ali, no momento, uma amiga cantou a bola de pedir um repeteco do ravióli de beterraba assada e parmigiano e a unanimidade tomou conta de nós.
Quando pedimos, o Alexandre apenas perguntou se todos queriam o repeteco e se retirou. De repente, enquanto conversávamos, ele, quase que sorrateiramente, começou a dispor, novamente, os talheres do ravióli na mesa... qdo percebi, falei: "ha Alexandre, se tu tá colocando o talher é pq vai rolar, né?". Ele respondeu positivamente apenas com um sorriso. Achei muito legal da parte do RS não vir diretamente dizer, 'apenas' preparar o ambiente para receber novamente o ravióli.





A galinha d'angola assada em alta e baixa temperatura e polenta macia com escarola defumada surgiu... imponente! Cada prato veio uma parte diferente da galinha... e vou te dizer que veio substanciosa! O ponto da galinha d'angola fazia a carne dela soltar levemente no garfo e na boca.





Sério... estava fora do comum... como eu já disse anteriormente de algum outro prato... aliás... esse adjetivo cabe a tudo no RS!

Uma das pessoas que estava comigo não comia carne de frango e nem de vaca. Informados
anteriormente, o RS preparou um vermelho com 'infinitas' ervas... ou florzinhas... com as batatas croustillant. Obviamente que eu também experimentei. E essas batatas... vou te contar uma coisa viu... preciso aprender como 'croustillar' as coisas urgentemente!!!!!! Essa batata foi a única que tinha restado para a foto, tamanha foi a voracidade do pessoal nas batatas!





Espero que não tenham se cansado de ler... tem chão, ou melhor, tem muita comida pela frente!

Seguindo a tradição francesa, eu acho, um queijo de cabra viria nos surpreender com seu parceiro, uma broa, que eu, particularmente não me lembro se era de milho, mas... que juntos, tinham uma força descomunal (só pra não falar 'fora do comum' novamente). Cabe aqui outro detalhe: era bem comum percebermos um toque doce e um toque salgado em praticamente todos os pratos... potencializando o sabor final. O queijo e a broa vieram servidos em uma pedra... do mesmo tipo da pedra que, em breve, nos trariam o brigadeiro de colher! Em breve... não agora!



Prontos para entrarmos no doce mundo doce da RS, a siriguela transformada em sorbet 'feito na hora' tirou sorrisos da cara de todos. A pequena colher 'dava' um sabor especial ao sorbet. Quando perguntei o sabor do sorbet, Alexandre falou juntamente com meu amigo, quase que sincronizados.



Sorbet finalizado, já era hora do mil folhas crocante de frutas vermelhas e licuri. Olha, se havia realmente 1000 folhas eu não sei. Só sei que apreciei cada 1 das folhas que estavam ali... juntamente com as frutas vermelhas e um creme que... segundo uma amiga que estava conosco: "dava vontade de fazer amor em cima do creme".





Pô, legal... fechou e tal... todo mundo feliz, alegre e contente!!! Negativo my friend... senta que tem mais!

Ainda veio um tartalle de chocolate (não me lembro se o nome era tartalle mesmo....) com chocolate amargo em pozinho... quentinha... até gente que não comia doce mandou ver... e era lindo ver os olhinhos de todos brilhando... A massa deliciosa. Bem fininha...




Cabou? Não! Relaxa!

Tivemos direito a um conjuntinho de doces... bombinhas, massinhas com doce de leite... tudo feitos a seu tempo... se é na hora é na hora, se tem que deixar algumas horas, são algumas horas antes! Feitos precisamente no timing certo seria o mais correto dizer!



Pronto! Acabou? Não responda agora, pois se você ligar neste momento ainda ganha... um BRIGADEIRO DE COLHER! 1 não... 8! Isso porque estávamos em 4 pessoas! Com uma textura muito boa... que ninguém sabe dizer o que é... torta, fondue, creme... enfim... coisa de louco!



Para encerrar... a própria Roberta Sudbrack conversou conosco por um bom tempo... enriquecendo mais ainda nossa experiência! Tornando-a 'mais inesquecível'... se é que existem coisas mais ou menos inesquecíveis!

Enfim... passei a admirar muito mais a profissional Roberta Sudbrack e conheci uma pessoa Roberta Sudbrack que me fez ter mais orgulho de ser brasileiro.

Roberta Sudbrack
Av. Lineu de Paula Machado, 916 - Jardim Botânico
Rio de Janeiro/RJ
Fone: (21) 3874.0139
www.robertasudbrack.com.br
Somente MasterCard

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Especial de natal: Camarões com Brie e Damasco

Demorou... mas saiu! Receita especial de natal: receita de camarão com queijo brie e damasco!!! Ok, Ok que hoje ninguém vai cozinhar nada e só requentar o que sobrou de ontem, mas fica ai a dica pra quem quiser fazer um natal fora de época no mês quem vem ou só no próximo natal mesmo... ou em qquer data que vc quiser!



- Ingredientes:
1 kg de camarões médios limpos
200 g de queijo brie
4 colheres de sopa de manteiga
1 cebola pequena picada finamente
3 colheres de sopa de vinho branco seco
1 xícara de creme de leite
1/2 xícara de caldo de camarão (pode ser tablete)
60 g de damascos
Sal e pimenta do reino.

- Modo de preparo:
Corte o queijo brie em cubos pequenos.
Coloque os damascos para reidratarem em um pouco de água quente.
Leve uma frigideira grande ao fogo e coloque 2 colheres (sopa) da manteiga, acrescente a cebola picada e refogue até que a cebola esteja macia, acrescente os cubinhos de queijo, misture e regue com o vinho branco.
Abaixe o fogo e misture bem para que o queijo derreta no vinho, regue com o caldo de camarões e misture novamente. Acrescente o creme de leite, misture bem e retire do fogo.
Deixe esfriar levemente, bata em um liquidificador e passe por uma peneira. Reserve.
Lave a frigideira, seque bem e leve ao fogo novamente.
Tempere os camarões com sal e pimenta-do-reino, coloque a manteiga restante na frigideira e aqueça bem em fogo alto, quando estiver borbulhando coloque os camarões, deixe cozinharem por 1 minuto de cada lado.
Escorra os damascos e pique grosseiramente, acrescente-os à frigideira.
Regue os camarões com o molho de brie reservado, aqueça bem, acerte o ponto de sal do molho e sirva acompanhado de arroz branco ou batatas cozidas.

Fonte: Receitas Especiais

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Salmão na grelha à moda caipira, sô!

Totalmente surpresa essa receita de salmão na grelha! Atire a primeira pedra quem já fez algo parecido. Atire... vamo lá! Quero vê se tu é bom de mira!

Salmão é bom. Na grelha, melhor ainda. À moda caipira? Vaise fu***. Sô! Para tudo! Quero logo isso pra mim! Quer sair do óbvio (escrevi isso influenviado pelo Desobvialize: faça um salmão ao invés da picanha no churrasco!



A pena foi não ter tido tempo de experimentar...

- Ingredientes:
Maomé 1,2kg de Salmão.. enfim... é o peixoto inteiro... partido.
Salsinha e cebolinha. Meio maço... ou masso.
Shoyo. 'mei liti'.
Cebola. Two. Ring cutted.

- Preparo
No mesmo saco que veio o peixe (se não vier em um saco, não adianta... o sabor muda sim), coloca a salsinha e a cebolinha, os anéis de cebola e o shoyo. Dá aquela mexida de leve e deixe marinar por 1 hora ou mais se vc tiver paciência. Mas menos de 1 ano.
Depois man, manda pra grelha com a pele ou casca ou carapuça pra baixo e espera desgrudar... e seja feliz!

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Geléia de Tomate da Bia (unplugged version)

Resumindo: essa geléia de tomate é ultrè-boa! Toda a história dela pode ser lida no blog de seus criadores: Trivial ou Nem Tanto... aliás, o Mesa pra 1 está virando uma unidade do TONT...

Fato é que eu não ia gravar a receita porque a cozinha estava uma verdadeira zona e muita gente andando e conversando e criança pra lá... e criança chorando, enfim... tava um Brasil a cozinha. Mas não consegui... e fiz essa versão unplugged da geléia. Em um futuro muito breve posto a receita numa 'radio edit version', mais comercial.



Diferente de quando a conheci, a geléia estava sendo comida com pães e tal... Na minha situação, não tinha pão bom, e, se vocês perceberem, no minuto 01:38 a senhorita Giovana, que me ajudou UM POUCO, me obriga a colocar mais pimenta... que deu uma apimentada (ÓBVIO) na receita... não que tenha ficado ruim, não ficou, mas todo mundo comeu muito e, quando ingerida juntamente com a carne, ficou estonteante.

Há rumores que, gelada, com queijo brie, fica boa também.

Há outros rumores também que, todas as vezes que a geléia for feita, apesar de ela ter o mesmo sabor, psicologicamente, o sabor dela sofre uma degradação a cada vez que alguém a faça, se distaciando, cada vez, mais da obra-prima-mater feita pela Bia. Portanto façam-na poucas vezes. Por gentileza.

Ingredientes e modo de fazer

1 kg de tomates sem pele e sem sementes
1 pimenta dedo de moça picada com sementes.
1/2 kg de açúcar
1 pitada generosa de sal
Cascas de 1 limão
Suco de 1 limão
Água mineral

"O processo é muito fácil. Corte o tomate pelado e sem sementes em cubos. Se quiser menos apimentado, antes de picar a pimenta, tire as sementes. Tire a casca do limão em pedaços bem grandes, para que fique fácil você retirar da geléia depois. Tente fazer aquele espiral que geralmente se faz com a laranja. A casca do limão libera pectina, o que ajuda a gelificar.

Agora é só misturar tudo numa panela e cubra com água. Leve a fogo bem baixo e deixe ferver até virar uma geléia brilhante. Se o fogo for alto demais, o açúcar vai caramelizar muito cedo, antes do ponto certo. Então é só colocar mais água, até atingir o ponto certo, com bastante brilho (aproximadamente 2 horas de fogo baixo)."

ps: o movie maker deu uns pau durante a edição... se o vídeo estiver 'louco', é 'normal'. estava sem paciência pra editar bonitinho tudo novamente.
ps2: E nessa semana, mais 2 receitas de churrasco pra vocês pessoal!!!!!!!!!!!!!!!

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Jantar mediterrâneo

Você já viu aqui a receita do gnochi alla mediterrânea e agora vai ver mais do mesmo.

Reparei que se o prato tem o peixe vieira em sua composição, é o que basta para ser considerado mediterrâneo.

O fato é que, cheguei em casa por volta da meia-noite de segunda para terça-feira e encontrei o pessoal em casa ultré-cozinhando. Eu não pude deixar barato, né... entrei e participei.

E agora... pra dar aquela de Jack Bauer, os eventos a seguir ocorreram entre às 0:00h e 03:00h do dia 8 de Dezembro de 2009.



Para explicar: ganhei um livro chamado "101 platos mediterráneos" e o pessoal resolveu fazer o Cuscús especiado con hierbas y almendras e Picadillo de tomate con vieiras.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Risoto de açafrão, abobrinha e cebola roxa

Mais uma receita enviada pelo Gabiru... parece que esse pessoal que começa a se aventurar na cozinha, depois que inventaram o arroz arbóreo e disseram que risoto se faz com ele, adora fazer risoto... porque é trés chiquê isso... é trés chiquê aquilo... Manda o arbóreão pra panela, adiciona a 'mistura' e tá pronto...



Ingredientes
1 xícara de arroz arbóreo;
1 cebola roxa pequena inteira cortada em cubos;
½ abobrinha média cortada em cubos;
1 colher de chá de açafrão;
1 colher de café de tempero pronto para o caldo (sal, alho cebola, pimenta do reino);
Queijo ralado à gosto.

Modo de preparo do caldo
Ferva água e adicione 1 colher de chá de tempero pronto.
Modo de preparo do risoto
Frite em azeite bem quente o açafrão com a cebola e a abobrinha, em seguida, coloque o arroz e frite junto, sempre mexendo bem para não queimar.
Após misturar bem os ingredientes, acrescente o caldo que foi preparado previamente e tampe a panela para cozinhar. Controle sempre a água regando o risoto com o caldo para que o arroz não grude na panela e para que não fique cru.
Após alguns minutos, quando o arroz estiver cozido, desligue o fogo e acrescente queijo ralado à gosto, misture bem e sirva quente.

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

X-egg versão caçulinha (Mini cheese eguinho)

Graças ao Bazzan este site ainda mantém suas raízes enraizadas na cultura caçulinha.

Prova disso é esta receita de cheese egg feita totalmente com produtos caçulinhas. Admito que fiquei decepcionado por ele não ter usado um ovo de codorna. Mas enfim... não dá pra ter tudo nessa vida. E provavelmente nem na outra.

A receita é bem simples e não tem erro...



ps: bela referência do filme Negócio Arriscado

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Filé mignon com crosta de parmesão, molho blue cheese e gateau de batata

Bom... vocês vão falar que minha crosta derreteu muito... que eu não coloquei plantinha pra decorar o prato, que meu gateau não ficou tostadinho em cima... mas enfim... FICOU MUITO BOM!!!

E outra... pegar uma receita da Bia do TRIVIAL OU NEM TANTO caracterizada como um 'nem tanto', e achar que realmente é trivial... é muita, mas muita prepotência... mas vou te dizer que no fundo não foi difício não... é o que um amigo fala: "Fazer é fácil. Fazer certo que é difícil"



Minhas dicas:

- Não abuse do tempero nas batatas: elas sem muito tempero, com o molho blue cheese ficam fodásticamente boas;
- Não filmei nada dos temperos exatamente porque cada um tem o seu. Ainda mais essas receitas cuja unidade de medida é 'quanto baste'. Quanto baste pra um piloto de carrinho de rolimã é 5km/h. Quanto baste pro piloto da nave do jornada nas estrelas é 7698769218736423198746 km/h.

Ingredientes:

6 bifes de filé mignon

Crosta de parmesão

400 g de queijo parmesão ralado
2 gemas
1 e 1/2 colher (sopa) de azeite de oliva
1 dente de alho amassado
1 colher (sopa) de tomilho fresco. (eu coloquei um pouco de alecrim tb)

Molho blue cheese
150 g de queijo blue cheese (gorgozola ou roquefort)
500 ml de creme de leite fresco
300 ml de caldo de frango 
Sal e pimenta branca moída

Gateau de Batata
1 kg de batatas médias
500 ml de leite
250 ml de creme de leite fresco 
Sal, pimenta branca moída e noz moscada q.b. 
1 dente de alho picado 
2 colheres (sopa) de azeite de oliva 
1 talo de alho-poró cortado em fatias finas 
Queijo parmesão ralado

Preparo:
Misture os ingredientes da crosta de parmesão e reserve. Prepare o molho: derreta o queijo em fogo baixo, junte o creme de leite e o caldo de frango. Reduza até ficar cremoso. Tempere e reserve. Para o gateau, descasque as batatas e fatie em chips, sem lavar. Leve ao fogo com o leite, o creme de leite e os temperos. Cozinhe até que as batatas fiquem al dente. Escorra. Refogue o alho-poró no azeite. Reserve. Monte os gateaus*: disponha seis aros em uma assadeira e preencha-os com batata; salpique o alho-poró e o parmesão e asse em forno médio. Tempere os filés e grelhe no azeite. Eu amarrei para que eles não perdessem a forma. Molde-os com a massa de parmesão. Gratine, em forno médio, até dourar. Sirva com o molho de queijo por baixo do file e o gateau.

Bia, não sei se foi você que inventou o prato, mas... vou te dizer, todo mundo aqui adorou muito e só de falar o que eu fiz, já teve gente pedindo pra eu fazer de novo!!!!

ATUALIZAÇÃO: Minha mãe me ligou e me disse que creme de leite fresco é um de garrafinha de vidro... e não o que eu usei.

ATUALIZAÇÃO 2: Em tempo, a receita é da Carla Pernambuco, do restaurante Carlota. Valeo Leo.

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Pizza do dia seguinte (full water requented version)

A primeira versão da pizza do dia seguinte, você já viu aqui.

Agora ela volta numa versão que eu denominei 'full water requented version', pois o processo de requentura dela eu denominei 'full water requented'. Porque esse nome? Só assistindo ao vídeo pra descobrir.



Fala sério! Alguém imaginava que uma pizza poderia ser requentada dessa forma?

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Como tirar chopp Heineken - direto da Fabrica da Heineken - Amsterdan

Depois que você aprendeu a tirar uma pint de Guinness aqui no Mesa pra 1, diretamente de Dublin... Depois que você passou por todas as provas e testes necesários, está na hora de vocês aprenderem a tirar uma pint de Heineken... obviamente que direto da fábrica em Amsterdan.



O esquema é tão interessante que, por 5 euros, tu pode ter uma long-neck com teu nome impresso. E o que mais me surpreendeu é que a long-neck vem fechada e com cerveja pra beber dentro.

Free Image Hosting at www.ImageShack.us

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Macarrão ao Alho e Óleo com Brócolis e Alcaparras

Eis que temos mais uma estréia no Mesa pra 1: Gabiru. Se é que isso é apelido de gente.
Enfim... e ele inicia com algo relativamente simples: um macarrão. Mas acrescenta ingredientes e temperos únicos, tornando esse prato, um prato relativamente simples, porém, com ingredientes e temperos únicos: receita de Macarrão ao Alho e Óleo com Brócolis e Alcaparras.

O ponto forte do vídeo fica na dica de como saber quando o macarrão está al dente. Vale MUITO a pena ver de novo!



Ingredientes:

1/2 Pacote de espaguete
1/2 Cabeça de alho fatiado
1 colher de chá de alcaparras
Molho de Alho à gosto
Azeite à gosto
Sal à gosto
Parmesão ralado à gosto

Modo de preparo do macarrão para 2 pessoas.

- Ferva aproximadamente 1 litro de água.
- Após a água ferver acrescente alguns fios de óleo ou azeite e sal à gosto.
- Acrescente 250g de espaguete (1/2 pacote) e cozinhe em fogo médio para alto por cerca de 15 minutos até ficar al dente (vide dica no vídeo).
- Escorra a água quente do macarrão e dê um banho de água fria para que ele pare de cozinhar e reserve.

Modo de preparo do molho álho e óleo com brócolis e alcaparras:

- Ferva 1/2 litro de água e acrescente 300g de brócolis congelado de saquinho por aproximadamente 5 minutos, não mais que isso e reserve.
- Esquente o óleo na frigideira e acrescente 1/2 cabeça de alho fatiado e frite até dourar.
- Misture o brócolis ao alho na frigideira para que fique uniforme.

Após tudo pronto junte todos os ingredientes em uma panela dando um generoso banho de azeite nos ingredientes. Aproveite para corrigir o sal, acrescentar o molho de alho e as alcaparras.
Sirva quente com parmesão ralado à vontade.

Vida longa ao homem que sabe, melhor do que ninguém, quando um macarrão está 'al dente'.

domingo, 15 de novembro de 2009

Torta Hambúrguer - Versão da Juliana

Bom pessoal... o nosso intuito é valorizar nossos colaboradores... pessoas que valorizam nossa criatividade e acabam se arriscando na cozinha junto conosco!

Parece que a Torta de Hamburguer do Mauro Rebelo fez sucesso!

Então... lhes apresento a Torta de Hamburguer da Juliana....



Juliana... muito obrigado... e... aguardamos mais receitas!!!!!!!

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Torta Hambúrguer

Recebo as receitas do @maurorebelo há muito tempo. Todas estão publicadas no site Bem Comer.

Essa receita da Torta Hamburguer pareceu, e realmente foi muito fácil! Fiz pequenas variações... e todo mundo curtiu! Fiz com 6 hamburgueres, mas a medida é ideal para 8 mesmo! No dia seguinte, requentei e o sucesso continuou.



Ingredientes Massa:
2 ovos inteiros
2 xicaras (chá) de farinha
1/2 xícara (chá) de oleo
2 xicaras (chá)de leite
2 colheres (sopa) de fermento em pó
50g de queijo ralado
1 cebola pequena picada
1/2 dente de alho picado
1/2 caldo de legumes (cubo)
oregano, manjericão, sal e pimenta do reino a gosto
queijo parmesão ralado a gosto para polvilhar no final.

Ingredientes Recheio:
8 hamburguers inteiros crus (comprados prontos ou feitos em casa)
2 tomates grandes cortados em rodelas finas
200g de queijo mussarela em micro-fatias
200g de presunto em micro-fatias
cebola e orégano a gosto

Modo de Preparo da Massa:
Bata tudo no liquidificador com excessão do fermento. Quando estiver uma massa homogênea, acrescente o fermento em pó e bata apenas para misturar.

Montagem:
Unte um refratário ou forma de alumíno com manteiga e farinha de trigo. Coloque metade da massa, arrume os hamburguers, as fatias de tomate, o queijo mussarela, o presunto, a cebola e o orégano. Coloque o restante da massa por cima, polvilhe queijo parmesão e orégano. Leve ao forno pré aquecido em temperatura média. Assei a minha por exatos 45 minutos.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Dica de vinho

Aproveitando o ensejo da estréia do Bulla... aliás... que palavra bonita esse 'ensejo'... e aproveitando o ensejo de falar do 'ensejo' eu lhes trago a definição do vocábulo:

ensejo
en.se.jo
sm (lat exagiu) 1 Ocasião azada; oportunidade. 2 Lance. (Michaelis)

Enfim... segue a dica de um Malbec Altavista 2007



Eu propriamente nunca tomei, mas o Bulla, que é praticamente meu filho n°3 já bebeu e disse que é bom...

Quem tá com a responsabilidade do próximo post é o Gabiru.

Pessoal... parece que vocês não estão entendendo... muita coisa tá rolando... inclusive o adultério!!!! pa pa ra pa ra pa na...

domingo, 8 de novembro de 2009

Risoto de rúcula com tomate seco E tomates cerejas

Estamos abrindo a temporada de participações do nosso ente querido Bulla, diretamente do 'erre jota' para vocês! Espero que se acostumem e que critiquem bastante o menino pra ele entrar nos eixos logo!

E, para mostrar a que veio, o Bulla já gravou essa tão sonhada receita de risoto de rúcula com tomate seco E tomates cerejas... Detalhe: as quantidades abaixo são EXATAMENTE para 1 pessoa! É isso ai, lek!



- Ingredientes:

1 xícara de arroz arbóreo
1/2 Cebola
1/2 xícara de vinho branco
Alho
Manteiga
Azeite
Queijo
1 maço de rúcula
200 gramas de tomate seco
1 cubo de caldo de galinha

- Preparo:

1) Manteiga e azeite até derreter
2) Fritar a cebola e alho por uns 3/4 minutos
3) Colocar o arroz e deixar por uns 4/5 minutos. Acrescente sal e pimenta a gosto
4) Misture o vinho branco
5) Com o vinho secando sem deixar grudar o arroz no fundo coloque a primeira regada de caldo até cobrir todo o arroz
6) Quando o caldo secar, acrescente metade dos ingredientes (rúcula, tomate seco/cereja)
7) Misture a segunda regada de caldo
8) Assim que secar, coloque a terceira e última regada de caldo
9) Após secar, coloque o restante dos ingredientes
10) Desligue o fogo e finalize com uma colher de manteiga e azeite. Misture!

Caso queira aumentar as quantidades, é simples.
1 pessoa comendo bem = 1 xícara de arroz = 1/2 xícara de vinho branco = 3 xícaras de caldo

Preparo do Caldo

1) Ferva 1 litro de água para 1 cubo de caldo
Esfarele o caldo quando a água estiver fervendo

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Receita de Temaki de Salmão

Neste caso a surpresa é boa: segue uma ótima sugestão de restaurante japonês em São Paulo, o Kiichi.

Pessoal... como vocês já sabem, infelizmente, não ganho um puto pra divulgar absolutamente nada neste blog. Divulgo o que acho que vale: positiva ou negativamente.

Gosto do Kiichi por 2 motivos claros:

1) Custo / Benefício: o rodízio, ou festival, custa em média R$ 35,00 e
2) Balcão: rola um balcão em que você pode trocar uma idéia com o sushiman e pedir uns especiais... e eles fazem muitos especiais que não vão para as mesas. Recomendo sentar lá na ponta, perto do caixa e do sushiman Anderson, que se disponibilizou e gravou a receita do temaki de salmão:



Ah, lá tem também aqueles cartões fidelidade que, a cada 10, você ganha 1.

Não deixem de conferir o balcão... com um bom papo, os sushimen te liberam umas comidas especiais!!!!

Kiichi. Restaurante Japonês e Temakeria. Rua Ministro Jesuíno Cardoso, 201 - Vila Olímpia - São Paulo - telefone: (11) 3842.0440 - www.kiichi.com.br

Se preparem: mudanças bombásticas no Mesa pra 1 estão por vir... como por exemplo, o blog já pode ser acessado pelo endereço www.mesapra1.com.br. É lek...

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Sanduíche I amsterdam

Bom... o fato é que aproveitei muito os supermercados europeus quando fui pela primeira vez em 1972. Em uma das infinitas passagens por Amsterdam, registrei essa receita de sanduíche com condimentos que não são facilmente encontrados por aqui... ou se são, custam os 2 olhos da face e não merecem que sejam comprados por uma pessoa tão proletária como eu, visto que eu preciso comprar cerveja e meu recurso financeiro é escasso.



Pelo que melembre, utilizei fatias de queijo temperado, rosbife ultré-cru e fino e uma espécime de requeijão de queijo brie. Tudo em um pão escuro com uvas-passa. Ficou muito bom. Inclusive, era muito comum eu comprar esses imgredientes, fazer uns 2 sandubas, colocar na mochila e me aventurar pela vida...

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Culinária Solteira Saudável

Bom... o vídeo abaixo só é video porque é pro Mesa pra 1... porque, na verdade, era uma foto... mas como aqui o que predomina são os vídeos... resolvi filmar a foto...

E o resultado é essa belezura da culinária saudável dos solteiros de plantão: uma bela lata e cerveja e um belo sado de pururuca, torresmo, porcolino, sejá qual for o nome que esta gostosura leva.



Mesmo porque, como dizia o Mestre Lagreca (Hermes e Renato): "... uma das minhas comidas favoritas é um torresminho e uma cachacinha, né..."



Por favor, REPITAM isso em casa.

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Strogonoff de Salmão

A lenda de que fazer a receita de strogonoff de salmão era difícil, foi quebrada. Fato é que todos disseram que foi rápido e simples de fazer... não sei se pela técnica que aprendo ao longo dos anos ou se pela fragilidade do prato propriamente... só sei que esta receita foi enviada por um colega de trabalho...



Ingredientes

1 colher (sopa) de manteiga
1 cebola picada
1 filé largo de salmão (+- 800 gr)
sal a gosto
4 colheres (sopa) de conhaque
100 g de champignon fresco, picado
3 colheres (sopa) de catchup
1 colher (sopa) de mostarda
1 lata de Creme de Leite
Azeite de Oliva (Extra Virgem)
1 garrafa de vinho branco (bem barato)
alecrim desidratado
alho triturado

Modo de Preparo (Cubos de Salmão)

1) Corte o Salmão em cubos (antes de descongelar por completo fica mais fácil de cortar)

2) Deixe o salmão por cerca de 30 minutos mergulhado em vinho branco seco, suco de limão e alecrim

3) Depois escorra o vinho e o suco de limão e reserve o salmão em um prato com uma camada de papel
toalha para que o mesmo seque.

4) Acrescente sal e alho a gosto no salmão já seco.

5) Em uma frigideira grande e plana, coloque azeite quantidade suficiente para dourar os cubos de
salmão (cada lado do cubo) para que o mesmo fique com uma consistência mais densa (selar o salmão)
permitindo o cozimento sem que se desmanche.

Modo de Preparo (Strogonoff de Salmão)

1) Em uma frigideira grande, derreta a manteiga e doure a cebola, junte o salmão em cubos (preparado previamente) e mexa levemente por cerca de 2 minutos.

2) Tempere com o sal e reserve, despeje o conhaque e incline levemente a frigideira para que o conhaque incendeie.

3) Junte os champignons, o catchup, a mostarda, misture e deixe ferver por cerca de 5 minutos.

4) Incorpore aos poucos o Creme de Leite, misture ao molho e retire do fogo sem deixar ferver.

5) Sirva a seguir, acompanhado de arroz e aspargos frescos.

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Bife à milanesa do Alex Atala

Aqui o chefe Alex Atala, dá a receita do clássico e algumas dicas para ficar mais gostoso, o bife à milanesa é dos meus pratos preferidos

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Shimeji na Manteiga

Pra quem gosta de shimeji, ou de shitake, já que eu não gosto dos dois, essa receita é muito prática.
Pra quem não gosta e quer impressionar, essa receita também cabe.

A receita é tao simples que resolvi caprichar na trilha sonora: "SERGIO MALANDRO - MAS QUE IDEIA (BY DJ NALDAO)". Nem precisam reparar no video, porque é bem simples mesmo... o que vale é a música!



Ingredientes:

1 bandeja de shimeji
2 colheres de sopa de manteiga sem sal
4 colheres de sopa de shoyu
4 colheres de sopa de sakê
1 colher de chá rasa de ajinomoto

Como preparar: Lave bem o shimeji e divida-os em tufos. Numa panela, derreta a manteiga e acrescente o shimeji, mexendo sempre (em fogo brando), até soltar um pouco de água. Acrescente o shoyu, sempre mexendo por mais de dois minutos. Acrescente o sakê e deixe por mais dois minutos. Não deixe o shimeji cozinhar muito, pois pode perder seus valores nutricionais. Junte no final o ajinomoto e pronto! Sirva quente.

Fonte: Comidinhas

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

O mundo está virando caçulinha

Este conceito, criado e alterado pelo Bazzan, foi um dos vários, para não falar infinitos alicerces deste video-show.

Em um sábado de manhã qualquer, acordei, e poderia tri ido ao Ibirapuera correr, mas fui na cozinha, peguei um pacote de bolacha Passatempo, sentei na sala e comecei a dar uma percorrida nos canais sabadais matinais.

Acho que entre a terceira ou quarta mudança de canal, me dei conta que o pacote de bolacha estava se findando. Veja abaixo um comparativo do pacote de bolacha e meu pé... reparem que o que restou do pacote é menor que o meu calcanhar!!!



Depois disso, passei o resto do sábado filosofando sobre a caçulinidade mundial... antes o rolo de papel higiênico tinha 50 metros default. Hoje o de 50 metros é o extra-comprido e o default está em 40 metros.

É normal você ver nas latas e caixas de produtos alimentícios avisos de redução de x% do total.

Nos tempos da brilhantina, era habitué pedir 200g de mussarela, ao passo que hoje em dia a maioria da população não passa dos tradicionais 180g.

Até lata de cerveja com menos de 350ml os fracos já podem usufruir.

Obviamente que não quero entrar no mérito de que embalagens menores facilitam o transporte, ou que as famílias estão cada vez menores, ocasionando uma redução no consumo, ou ainda que embalagens menores utilizam menos materiais como papel, gerando diminuição no corte das arvorezinhas e blah blah blah, porque isso é clichezão... isso aí é lugar comum... e não leva ninguém ou nada a lugar nenhum.

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Restaurant Week - Shintori


Depois do castelo de Versailles, este é o segundo lugar no mundo em que o jardim é maior do que a casa em si.
Estacionamento, pá... recepção, pá... fila de espera, pá... Fomos para o bar. Cerveja justa (uns R$ 5,50 a long neck) Cadeiras e mesas confortáveis e bonitas respectivamente.
Cardápio, pá... entradas, pá... pá pra lá e pá pra cá... e o garçon volta e retira as entradas que ele havia colocado. Sem pum nem pá. Sem pá nem pum. Não entendi. Chamei o meliante de volta e questionei sobre a sorrateira e repentina retirada dos petiscos de entrada. Ele respondeu perguntando se havíamos vindo para o Restaurant Week. Afirmamos e ele afirmou que as entradas são pagas à parte.

PERA AI, MEU NOBRE... SE O ESQUEMA É PAGO, NÃO CUSTA, PRIMEIRO, QUESTIONAR SE A MESA QUER E PARA QUANTOS, E INFORMAR O PREÇO.
AGORA, O CARA VEM, COLOCA SEM FALAR NADA E TIRA SEM FALAR NADA???? NA PIOR DAS HIPÓTESES ANTES DE RETIRAR, INFORMA QUE É PAGO E PERGUNTA.


Ha, mas não deu outra... "Não me importa que é pago à parte, Pode trazer pra mim". Obviamente que fui mais grosso do que eu escrevi aqui, mas... totally deserved.

Enfim, estress inicial passado, subimos para o second floor e nos deparamos com umas cadeiras tais como as de restaurantes de beira de estrada. Mas aqueles 'rodizião' mesmo, sabe? Enfim... stress cadeirístico passado fomos para o que interessa, porque o resto não tem pressa.

De entrada, mandei um WASABI STEAK (rolinhos de carne bovina, temperados com wasabi e cebolinha). Mandei muito bem na verdade. Muito saboroso tasteful pra cacete. Não lembro muito o que os demais da mesa pediram, mas nenhum foi tão bom quanto o meu.

No caso do prato principal, cabe mais um 'enfim'... quem imaginaria que um "Yaki udon" se limitasse a um yakissoba? Concordo que, no site o Restaurant Week descreve o prato como "macarrão oriental com carne e legumes", mas no cardápio oferecido no Shintori, além de oferecer mais opções do que as citadas no site, descrevia o Yaki udon como uma espécie de macarrão branco, com camarões e blah blah blah... enfim... parecia totally diferente de um yakissobão dos 'china' da av. paulista.

Quem pediu o menu degustação se deu relativamente normal... pelo menos não me lembro de nenhuma reação surpreendente. MAs estava bom... medíocre... nota '5 bola'...


Sobremesa. Ha a sobremesa... definitivamente não era a minha noite. Eu, no meu anseio de desbravar novos sabores e novas experiências gastronômicas fui no certeiro no ANIM DOFU (gelatina de leite e amêndoa com calda de kinkan). Meu... puta negócio ruim. Me vi obrigado a roubar dos BONSAI (sorvete com biscoito de chocolate e calda especial) dos demais participantes da mesa... Ressalto também que essa 'calda especial' é igual aquela roupa que o alfaiate do Chapolin fez pro rei e que só os inteligentes conseguem ver... com a diferença que no caso da calda, você precisa ser inteligente pra ver e sentir o sabor.

Depois de muitos enfins, fiquei uns 70 mangos mais pobre nesse dia (R$ 10,5 só de entrada por pessoa).


Shintori
Endereço: Al. Campinas, 600 - Jardim Paulista - São Paulo
Telefone: (11) 3283-2455
Site oficial: www.shintori.com.br

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Restaurant Week - La Brasserie Erick Jacquin


O almoção de domingo tinha que ser em alto estilo. Pra garantir que teria o estilo que eu mereço, fui logo cedo no La Brasserie: 11:30h já estava lá. Eu e os manobristas. Me assustei pq imaginei que teria milhares, e porque não milhões, de pessoas na fila. Mas eu acho que o estilo é tão grande que o povão nem se dá o trabalho de ir.

Tirando um otário que me disse que estava tudo lotado e que era pra voltar por volta das 13h (achando que eu realmente iria embora), falei com a hostess, que parecia e muito com a Kirsten Dunst, e obviamente fui o primeiro da fila, pois nem todas as mesas estavam reservadas, como o otário havia me dito anteriormente.

Lá pelo meio-dia, o pessoal começou a chegar, mas mesmo assim não foi necessário organizar uma fila.

Internamente o lugar é muito bonito: diferente de uma tintona verde na parede, como é o Antiquárius, tinha uns papéis de parede e a cozinha era visível, por intermédio de um vidro com umas persianas de madeira.

Sem dúvida este lugar foi o que se mostrou mais preocupado com a apresentação dos pratos.


Diferente do Antiquárius, a entrada era open bar (logo que alguma coisa acabava, o garçon trazia mais) e tinha um pão bem gostoso, juntamente com um lance de berinjela, cebola, pimentões e alcaparras. Mais uma vez, abri mão apenas da berinjela e mandei ver nos demais ingredientes. A manteiga e um outro patê acompanhavam. Apenas depois, mais precisamente quando veio a conta, fiquei sabendo que foi cobrado R$ 10,00 por pessoa pela entrada open bar. Enfim...

Aqui, a taça de vinho eram R$ 14,00 e muito me surpreendeu quando, ao pedir o vinho branco, o tiozão me trouxe uma garrafa na temperatura ambiente. Imediatamente questionei sobre a temperatura e o bonitão se entregou, dizendo que o vinho havia sido colocado pouco tempo antes para refrigerar. Mas rapidamente se prontificou a manter a garrafa gelada e trazê-la novamente, refrigerada, junto com os pratos.

Pedi, de entrada, o bisque de crustáceos, uma espécie de sopa. Veio servido em uma cumbuca de barro feito demi-artisticamente. Estava bem saborosa. O problema aqui foi comer/beber/chupar a sopa: a colher era relativamente funda e eu não sabia se a colocava de frente ou de lado na boca... Olhei para os lados... e tinha gente fazendo dos 2 jeitos... é isso que dá quando os restaurantes finos abrem as portas pra ignorantada toda. Enfim... pulemos esta parte.

Degustei os 2 pratos principais: PANACHE DE PEIXE COM ESPUMA DE LIMÃO e BOEUF BOURGUIGNON. Pessoal... o que é especificamente um panache eu não sei, mas que o negócio é bom, ah isso é. Muito saboroso... um tempero incrivelmente bom. Acho que tinha até as folhas do dill... fresh mesmo no prato. Se não me engano 3 tipos diferentes de peixe estavam no prato. Achei a espuma de limão meio enjoativa... o sabor da manteiga saltava muito.

O 'bife' nada mais era que uns blocos de carne seca com uns pedacinhos de bacon, batata, cenoura e cogumelos no molho de vinho tinto. Bom? Sim. Saboroso? Sim... mas... tirando os cogumelos *que para todos era o melhor do prato e eu como sou chato não pude provar*, o resto você encontrava naquele buteco lá... sim... aquele que a Itaipava custa R$ 2,50. Brincadeira... o molho era muito bom.

De sobremesa, mandamos um CRÈME BRÛLÉE, a sobremesa com maior quantidade de acentos desnecessários do mundo e que, na opinião de uma pessoa que já comeu isso umas 3 vezes na vida, esse do La Brasseria foi o melhor; e pedimos uma sobremesa de chocolate também... que... era um pedaço de bolo com uma espécie de mousse em cima. Satisfatório, assim como as praias do Guarujá.

Após pagar R$ 58,00, não tinha ninguém na espera do lado de fora do restaurant.

La Brasserie Erick Jacquin
Endereço: R. Bahia, 683 - Higienópolis - São Paulo
Telefone: (11) 3826-5409
Site oficial: www.brasserie.com.br

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Restaurant Week - Porto Rubayat

Não imaginava que exitisse buffet 'open bar' no Restaurant Week, mas existiu.

Bom, era sábado e cheguei no imponente estabelecimento por volta das 20:00h. Havia fila de espera, mas pequena, a priori. Dei meu nome, peguei o 'bip' e fui pro bar. Lá, fiquei bebendo chopp Eisenbah por $ 8,50 (detalhe positivo do estabelecimento: alguns chopps que bebi no bar não foram cobrados na conta final. Solicito a gentileza de continuarem assim.).

O tempo passava, o bar enchia, minha mesa não chegava. A porta climatizada da adega estava demi-aberta e resolvi entrar pra conferir. Fiquei uns 8 minutos lá dentro observando as bebidas e tal. Me senti dentro da escotilha de Lost. De vez em nunca passava um tiozinho servindo pães de queijo. Obviamente que eu não caio nessa de servir porcarias como entrada de um buffet open bar, só pra te fazer comer menos no buffet. No balcão do bar era servido amendoim (?!?!). O aquário com os peixes e lagostas impressionavam.

Após cerca de 80 minutos aguardando, fui conferir a lista e percebi que várias pessoas haviam passado na minha frente. Ao questionar a tiazinha, ela gaguejou e não soube me explicar o que houve... disse que alguns eram idosos, outros tinham crianças e tal... e 'misteriosamente', em 3 minutos, minha mesa apareceu.

Ah meu nobre... já passei e dei uma geral nas comidas disponíveis. De cara achei meio estranho tanta variedade de massa em um restaurante cuja especialidade é a comida oceânica ou fluvial. Mas enfim... se a boca é livre, vamos comer. Obviamente que dei preferência aos peixes e tentava identificar um tempero diferente ou coisa do tipo. As lulas no molho preto e um peixe com uns legumes foi o que tornou o jantar não 100% perdido. Ah, a paella estava muito boa também... mas muito boa mesmo. Tradicional ou não, rolava um tio que fatiava o salmão defumado na hora pa nói. Será que ele defumava o salmão vivo?

Sim, tinha massa saborosa, mas... eu fui lá pra comer peixe e não pra engordar mais.

De sobremesa, tinha quindim, um esquema de chocolate, pudim de leite e tal... pelo que eu lembre, no buteco que servia a Itaipava a R$ 2,50 tinha a mesma coisa no PFão.


Internamente o ambiente é grande e decorado... há luzes em demasia talvez.

O jantar saiu pela bagatela de 62 realengos.

Porto Rubaiyat
Endereço: Rua Leopoldo Couto de Magalhães Jr., 1142 - Itaim Bibi - São Paulo
Telefone: (11) 3077-1111
Site oficial: www.restauranteportorubaiyat.com.br

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Restaurant Week - Antiquarius

Como todo bom brasileiro, deixei para conferir os restaurantes do RWSP simplesmente no último final de semana. Me comprometi a ir em 4 restaurantes participantes (2 no almoço e 2 no jantar, lógica e obviamente) dos 202 restaurantes, mesmo porque alguns eu já tinha conferido.

Os escolhidos foram:
Almoço: Antiquarius e La Brasserie
Jantar: Porto Rubayat e Shintori

Destes, não fui apenas no Shintori mas, ao ligar no restaurante, fui informado que eles manterão o cardápio, e principalmente os preços, por mais uma semana. Aproveitei e fiz uma reserva para conferir e cumprir minha missão.

O primeiro da maratona foi o Antiquarius. Ao chegar, um susto: uma fila demi-enorme. Adianto que esta fila durou cerca de 100 minutos até minha entrada e, mesmo após as 2 horas que permaneci no restaurante, quando sai, por volta das 16h, ainda existia uma pequena fila. O bom é que tinha um buteco na esquina e a lata de Itaipava saia por R$ 2,50.

Para entreter os participantes da fila, uma mulher, que eu descrevo como um mix da Xuxa, Ana Maria Braga e Cameron Diaz, aparecia, de tempos em tempos, polida e alegremente, para informar os procedimentos e que não havia tempo para previsão de entrada.

Uma vez dentro do estabelecimento, fomos diretamente para o bar, onde pudemos nos assustar com os preços das bebidas (R$ 9,00 uma cerveja) e pedir uma porção com 8 mini bolinhos (do tamanho de uma bolinha de gude, SÉRIO!!!) de bacalhau por R$ 13,00. Pra nossa sorte, nossa mesa vagou antes que a porção pudesse ter chegado e não tivemos que pagar também.

Na mesa, fomos agraciados com torradas e patês que não acrescentaram em nada minha não muito vasta cultura gastronômica: manteiga, patê de fígado e um esquema português que vai berinjela e molho de tomate *que parecia um mini flã de tomate, recheado com beringela - bem gostoso por sinal* de boas-vindas. Como não como berinjela, não comi o que poderia ser o melhor da couvert.

De entrada: Tijelinha de Bacalhau a moda do Convento. Não sei qual convento a que eles se referem, mas a entrada estava boa e parecia muito com um fricassé de bacalhau.

No prato principal, abdicamos do arroz de cordeiro, pelo animal se encontrar em extinção, e fomos para o Bacalhau a Antiquarius e Filet Antiquarius.

O Bacalhau estava muito bom: era o peixe bem desfiado, com algumas batatas palhas e ovo pra dar uma liga... o prato em si parecia 'uma coisa só'... não se via batatas soltas e tal. Mas o sabor era muito bom mesmo.

Já o filet... sinceramente: nada demais. Eram 4 fatias de um filet meio que ao molho (adivinhem) madeira com umas batatas meio que assadas. Vejam... não que não estava bom, estava, mas... estava medíocremente bom. Pra comer isso vou ali no mesmo buteco em que a Itaipava era R$ 2,50 e mandava ver no PFão (Lê-se: peéfão) de pedreiro.

A sobremesa surpreendeu com a Siricaia. Puta doce bom da porra!

As taças de vinho custavam R$ 10,00 e achamos conveniente pedir. Além das águas (R$ 6,00).

Os talheres, de prata, eram pesados e trocados sempre que preciso. Admito que não sabia como usar uma faca de peixe... bom mesmo é a de carne que você pode usar com qualquer uma das mãos. A de peixe, aparentemente, só 'funciona' com a mão direita.

Internamente o restaurante deixa, parcialmente, um pouco à desejar, com umas paredinhas pintadas com uns quadrinhos vagabonds, janelas e uma cortininha branca. Para apreciar a real beleza, você tem que passear pelo restaurante.... subir no mezzanino, ver as obras e tal. Ou seja, dependendo de onde fica, a mesa que você está sentado, você está no castelo de versalles. Dependendo você tá ali mesmo... no já tradicional buteco de esquina em que a Itaipava custa R$ 2,50, com o adicional dos quadrinhos vagabonds.

Total da brincadeira: R$ 49,50.

Antiquarius
Endereço: Al. Lorena, 1884 - Cerqueira César - São Paulo
Telefone: (11) 3082-3015
Site oficial: www.antiquarius.com.br

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Trouxinha de sexta-feira

Estou cansado e sem tempo para escrever a receita em si... vejam este prato rápido e relativamente simples pra você comer em casa... muito boa essa descoberta de receitas de pizzinhas/lanchinhos pão folha... você pode, praticamente, comê-los com... qualquer coisa... reparem que o vídeo não foi editado... ficou pronto em 5 minutos.

Não reparem nas besteiras que os protagonistas falam... eles não passam de protagonistas... após algumas cervejas.



Este é um post de transição.

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Folhado de Salmão

Estamos voltando com os tempos áureos do blog. Eu acho. Depois do trabalho consumir todas as minhas energias, estou tentando voltar... aos poucos.

Aqui, uma receita com salmão... que é sempre bão. Simples e rápida: a receita de folhado de salmão vale a pena.



Ingredientes
1 pacote de massa folhada
300 g de salmão defumado
150 g de geléia de damasco
1 queijo brie
1 gema
2 colheres (sopa) de óleo
Erva doce para decorar

Modo de Preparo
1.Abra a massa, faça uma camada com geléia de salmão defumado e coloque o queijo no centro
2.Feche bem a massa, para que o queijo não extravase
3.Pincele com a gema e o óleo
4.Leve a fogo médio (180º) por cerca de 20 minutos
Informações Adicionais
◦Sugestão: podem ser feitas trouxinhas individuas para servir de entrada.

Fonte: Tudo Gostoso

sábado, 29 de agosto de 2009

Botequim Seo Zeca - triste ilusão

Procure por esse bar na internet.
Será comum ler sobre um prato chamado "duquesa de camarão" que é um resole redondo decorado com camarão.
Na verdade todos os sites só falam disso e de uma bendita fotografia do Rio de Janeiro que tem no bar.
Outros sites falam também de receitas cariocas, falam da cultura carioca viva no bar.

Resolvi conferir... esse pedaço do 'erre jota' dentro de São Paulo.

Em plena quinta-feira, por volta das 22h, um bar, em Moema, espera-se que, pelo menos haja um certo público no bar. Ledo engano: o bar estava vazio... pra ser mais preciso deviam ter umas 3 mesas ocupadas. A posteriori descobri que o proprietário ocupava 1 das mesas.

De cara, chamei o garçom e pedi o já cantado em verso e prosa "duquesa de camarão".
"Já não fazemos este prato faz tempo", foi o que ouvi.
Já puto, perguntei:
"Qual a especialidade da casa, o que mais sai?"
"Olha, o que nós temos está ai no cardápio".

PERA AI... ISSO É COISA QUE UM GARÇÃO RESPONDA? EU NÃO PERGUNTEI O QUE A CASA TEM, E SIM A ESPECIALIDADE.

Daí em diante... mas nem se tivesse cerveja de graça eu ficaria feliz ou voltaria em um lugar desses.

Sobre a foto do rio de janeiro... enfim... não é nada demais...

A decoração do lugar em nada se difere dos 98% dos outros bares da cidade, ainda mais em um bairro rico nesta especialidade como Moema.

/mas o bar não é de todo ruim, teve 1 fato, na verdade, foto, que tirou sorriso de felicidade do meu rosto: Rocky Balboa. A foto em si, é linda, mas em meio a um bar cujo tema é, ou deveria ser, o rio de janeiro... faça-me o favor.

Enfim, NÃO PASSEM NEM PERTO DO BOTEQUIM SEO ZECA... nem vou me dar ao trabalho de falar onde fica para poupar vocês de lerem coisas desnecessárias.

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Pasta demi-à lá carbonara

Bom senhores... sei que ntenho decepcionado vocês em relação aos últimos posts, mas... é como o pessoal costuma dizer: se vc não consegue fazer tudo, faça tudo que pode... e meu tudo tem estado bem limitado ultimamente.

A receita desse molho meio branco meio carbonara foi feito bem rapidinho... fiz uma adaptação de uma outra receita...



Ingredientes
Massa espaguetti ou penne 500g
200 g de bacon em cubo sem gordura
1 cebola picada
1 dente de alho picadinho
Ou creme de alho ou arisco a gosto
Creme de leite para molhos lata ou caixinha
1 copo de leite desnarado
Salsinha picada
1 a 2 cubos de knnor carne ou legumes
Queijo parmesão
2 colheres de azeite de oliva
Sal a gosto
Majericão
Limão verde

Modo de Preparo
1.Numa panela frite com azeite de oliva o bacon em cubos, logo apos junte a cebola, salcinha , alho e deixe ficar bem doradinho , e mexendo para nao pegar no fundo da panela
2.Quando estiver ja douradinho esprema o limão verde e deixe secar, logo após adicione o copo de leite desnatado e deixe dar uma fervidinha, mas nao secar logo a seguir adicione o creme de leite e misture tudo até fazer um creme homogeno mais um pouco líquido, mais não muito você deve dosar dependendo da quantidade de creme desejado, e junte o majericão
3.cozinhe a massa e junte tudo acrescente queijo ralado e saboreie esta deliciosa pasta a la carbonara bom apetite

Adaptado de Tudo Gostoso

terça-feira, 11 de agosto de 2009

Tomate cereja com maionese

Queria postar isso faz muito tempo... dai com a crise mundial... veio a crise de posts também e... finalmente veio a hora de postar ess receita de tomate cereja e maionese. Na verdade não sei e o tomate é exatamente o cereja... descobri uma variedade muito vasta (se é que isso é possível) de tipos diferentes de tomates...

quarta-feira, 29 de julho de 2009

Blood Mary

Ok Ok...não está completa, mas a receita do drink blood mary está aqui... mas também só está faltando as gotas de pimenta.

Ingredientes:
sal
pimenta-do-reino
cubos de gelo
1 dose de vodka
1 colher (chá) de suco de limão
4 gotas de tabasco
1 colher (café) de molho inglês
250 ml de suco de tomates

Preparação de Bloody mary:
Coloque em um copo a vodka, o molho inglês, o suco de limão, o tabasco, sal e a pimenta-do-reino. Misture e adicione o suco de tomates gelado. Misture novamente e acrescente cubos de gelo.



Fonte: Saborosas.com

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Mini-croissants c/ peito de peru, queijo prato e tomate

Tipo... essa receita de mini-croissants c/ peito de peru, queijo prato e tomate rola pelo saborzinho do croissant que é diferente de um filão tradicional e tal... e rola também pelo tomatezinho com orégano, azeite e sal.

Você pode servir como uma entradinha, ou como um tira-gosto rápido e tal... se tiver com muita fome faz uns 50 que a fome passa com certeza.

Ingredientes:
- 1 mini croissant
- 2 fatias de queijo prato
- 2 fatias de peito de peru
- 1 rodela grossa de tomate temperado com orégano, azeite e sal
- maionese

Modo de fazer:
Faça como se fosse um sanduíche e coma.

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Petit Gateau de chocolate branco com frutas vermelhas pt.2

Podem rir à vontade... gargalhem........ infelizmente não terminou bem minha tentativa de fazer este boulette francês.

Acho que as falhas se devem ao tamanho do 'congelado' de frutas vermelhas, que acaba se sedimentando no fundo ou o timing mesmo... só sei que não deu certo... e na verdade me deu muita raiva... pq eu passei a noite toda fazendo isso. Tive que editar muito pq o que mais tinha eram palavrões, xingamentos e grosserias... enfim... observem o desfecho desta derrota:

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Petit Gateau de chocolate branco com frutas vermelhas pt.1

Não achem que eu acertei ao fazer a receita do petit gateau de chocolate branco com recheio de frutas vermelhas: já adianto que deu errado. Mas só no final...
Tendo em vista as limitações do youtube, dividi o vídeo em 2 partes:

Ingredientes:
Massa
- 250g de chocolate branco
- 150g de manteiga
- 4 ovos
- raspas de limão
- 1 xic de farinha
- 1/2 xic de açúcar

Recheio
- frutas vermelhas
- 2 colheres de açúcar
- 4 colheres de suco de limão



Modo de fazer: veja o vídeo. Obrigado.

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Salada do Restaurante Os Ciprestes by Marinon

Esta receita foi trazida pela Marinon baseada na receita de salada do badalado restaurante Os Ciprestes, em Ribeirão Preto (detalhe: apesar de ter dito que Ribeirão Preto é minha terra natal, apenas morei lá por 20 anos. Nasci em Uberlândia-MG)

A combinação dos ingredientes utilizada na salada foi algo de espetacular e harmonizou muito com o salmão (que vocês já viram aqui).



Ingredientes:
- rúcula
- alface americana
- radichi (é assim que escreve?)
- amêndoas laminadas e torradas
- vinagre balsâmico
- azeite trufado
- sal
- pêra
- mel
- queijo brie

Modo de fazer:
Crie as seguintes camadas, na ordem:
rúcula, amêndoas, vinagre, azeite, sal
alface, amêndoas, vinagre, azeite, sal
radishi, amêndoas, vinagre, azeite, sal
Por cima de tudo, adicione o queijo brie grelhadinho e fios de mel. Decore com as lâminas de pêra.

Caso você ache que está vazando gás, não se preocupe: é o cheiro do azeite trufado.

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Drink Red Love

Esse drink foi feito inúmeras vezes depois da gravação desse vídeo e a receita foi aperfeiçoada para o seguinte:

- 50ml de rum
- 50ml de gin
- 50ml de vodka
- 50ml de xarope de romã
- suco de meio limão
- 1 colher pequena de açúcar



É misturar, coar e servir no copo de martini de 300ml. a Mulherada vai cair em cima.

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Salmão com pimentões agridoces

Oxalá... vamos quem vamos! Continuando a 'saga do salmão', lhes apresento a receita de salmão com pimentões agridoces.

A história dessa receita é a seguinte: como a Marina ia fazer a salada com brie, procurei algo que harmonizava com o brie. Cheguei em frutos do mar e, como a Marina é alérgica à camarão, cai nesse salmão que, além de harmonizar com o brie, 'pedia' uma salada com rúcula. Ingrediente que faz parte da salada da Marina. Como o molho agridoce tem o xarope de romã, foi-me solicitado um drink com o xarope. Eis que meio que inventei uma espécie de cosmopolitan... que será objeto de post futuro. Tanto o drink qto a salada.



Ingredientes para 1 pessoa:
•1 filé de 130g de salmão com pele
•1 colh. (sopa) + 1 1/2 colh. (chá) de shoyu
•2 colh. (chá) de azeite de oliva
•1/2 colh. (chá) de xarope de romã
•1/2 pimentão vermelho
•1/2 pimentão amarelo
•1 dente de alho
•1/2 pimenta dedo-de-moça sem sementes
•1/2 colh. (chá) de raspas de gengibre fresco
•1 colh. (chá) de vinagre de vinho branco

Preparo:
1.Em uma tigela, misture 1 colh. (sopa) de shoyu, 1 colh. (chá) de azeite e o xarope de romã. Misture bem. Faça três ou quatro cortes na pele do salmão para evitar que ele encolha na frigideira e mergulhe o peixe na mistura, virando-o bem para recobrir-se da marinada. Cubra com filme plástico e leve à geladeira por meia hora.
2.Fatie os pimentões, o alho e a pimenta. Aqueça o restante do azeite em uma frigideira e coloque o alho, a pimenta, os pimentões e o gengibre, e refogue em fogo médio até que os pimentões estejam macios. Junte o shoyu restante e o vinagre, cozinhe por 1 minuto e desligue o fogo. Mantenha os pimentões quentes enquanto prepara o peixe.
3.Aqueça uma frigideira em fogo alto. Retire o salmão da marinada, deixe escorrer um pouco e coloque-o com a pele virada para baixo, abaixando o fogo para médio para não queimar a pele. Cozinhe por 5 minutos (ou mais se o filé for muito alto), vire e cozinhe por mais 3 minutos. Sirva imediatamente, com os pimentões quentes por cima, acompanhado de uma salada de rúcula ou outra folha amarga, se quiser.

Por problemas técnicos, a gravação da parte em que eu coloco os ingredientes na panela foi perdida. Uma pena.

A receita foi retirada do site La Cucinetta

quinta-feira, 11 de junho de 2009

Salmão com molho de nêspera

Pessoal, eu tenho falado que as receitas aqui estão ficando mais sofisticadas... vocês não estão acreditando... Quem comeu o salmão com molho de nêsperas disse que foi o melhor prato que já fiz até hoje... uma experiência nova para todos... e é extremamente simples. Vale muito a pena tentar pq é numa dessas que você impressiona aquela garota, ou os sogros... ou seu cachorro... sei lá quem você quer impressionar ou pq você quer impressionar seu cachorro!



É favor levar em consideração as qtdes. abaixo e não o que eu falei no vídeo.
Ainda, no vídeo eu não citei o cream cheese... que é aquilo branco no prato. Sei que parece sorvete de creme, mas é cream chesse. Vai por mim.

Ingredientes para 2 pessoas:
350 gr de salmão
8 unidade(s) de nêspera sem caroço
quanto baste de azeite extra virgem
2 copo(s) de vinho branco
quanto baste de tomilho
quanto baste de manteiga
1 colher(es) (sopa) de cream cheese
quanto baste de sal
quanto baste de cebolinha verde

Modo de fazer:
Tempere o filé de salmão com 01 copo de vinho branco, 03 colheres de sopa de azeite e alguns ramos de tomilho. Não adicione o sal a essa marinada. (o sal será adicionado quando o filé for ao fogo). Deixe marinar por 30 minutos. Em uma panela, derreta a manteiga, acrescente as nêsperas cortadas em cubinhos, e deixe aquecer, adicione o açúcar e 01 copo de vinho branco. Deixe reduzir por mais 3 ou 4 minutos. Reserve. Escorra e seque os filés de salmão, faça 3 pequenos cortes diagonais na pele, corrija de sal, e leve para grelhar em uma frigideira com teflon, untada com azeite, primeiro com a pele para baixo, por 3 minutos. Vire o filé com cuidado, e deixe grelhar do outro lado por mais três minutos. Arrume com cuidado o filé no centro do prato, e disponha ao lado, 01 colher de cream cheese. Derrame metade do molho de nêsperas sobre uma parte do filé e cream cheese. Disponha a outra metade do molho ao redor da montagem. Decora com cebolinha verde.

Fonte: Cyber Cook

quarta-feira, 3 de junho de 2009

Gnochi alla mediterrânea pt.2

Tarda, mas não falha... segue a segunda e derradeira parte do tão sonhado prato da culinária mediterrânea... aliás... bem peculiar: receita de nhoque, totalmente italiano, com ingredientes sofisticados.. e demi-sem molho... tornando-o mediterrâneo.

domingo, 31 de maio de 2009

Gnochi alla mediterrânea pt.1

Me sujeitei a dividir a receita em 2 partes em função da limitação técnica do Youtube.

De qualquer forma a beleza da receita não foi perdida.

A receita do nhoque à mediterrânea foi feito com elementos e/ou ingredientes selecionados: a massa foi comprada em um lugar especializado aqui perto e não aqueles trash de caixinha que são vendidos na maioria dos supermercados. Peixes são recém-pescados e plantas recém-colhidas. Enfim... É um show mágico da cozinha moderna. A forma de fazer vem no próximo post.

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Panini de tartar de salmão no pão ciabatta

A receita original deste panini de tartar de salmão no pão de miga foi retirada do site da Vejinha... eu só adaptei pra minha realidade... pro meu mundo, onde não existem pão de miga, dill e ciboulette...



Panini de tartar de salmão no pão de miga
Ingredientes
1 pão de miga cortado ao meio (pode substituir por pão de forma sem casca, no entanto não terá a mesma leveza e o sabor é um pouco diferente)
Broto de alface lisa, rasgado com as mãos
180g de salmão fresco picado
1/2 colher (chá) de dill picado
1/2 colher (chá) de manjericão picado
1/2 colher (chá) de ciboulette picado
1/2 colher (chá) de tomilho picado
Sal e pimenta a gosto
Molho para salada (*)

*Molho para salada:
1/2 litro de azeite extra virgem
2 colheres (sopa) de vinagre
1 colher (sopa) de suco de limão
Sal e pimenta a gosto
Junte os ingredientes no liqüidificador e bata por 10 segundos.

Modo de preparo
Misture o salmão com os temperos: dill, manjericão, ciboulette, tomilho, sal e pimenta a gosto. Reserve e deixe marinar por aproximadamente 15 minutos.

Montagem
Corte o pão de miga ao meio e leve ao forno para aquecê-lo e dourá-lo. Retire e espalhe em uma das metades o salmão picado, já temperado. Acrescente os brotos de alface e, por último, o molho da salada. Tampe com a outra metade e sirva com a parte recheada com o salmão para cima.

leia mais: site da Vejinha...

domingo, 24 de maio de 2009

Escola de Maridos & Afins

Meio em cima da hora, mas em tempo!

Na quarta não vai dar pra ir pq tem final da Champions e tem jogo do Timão, mas sábado é bem provável que eu dê o ar da graça e prestigie... merecidamente!

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Molho de pimenta do Phil Weeks

Continuando com nossa empreitada francesa no Mesa pra 1, abaixo segue uma receita de um molho que, pra quem gosta de coisa apimentada, é um prato cheio.

Ingredientes:
- 1/2 cebola roxa
- 1/2 cebola branca
- 1 tomate
- 'X' dentes de alho
- uma qtde generosa de gengibre
- pimentas variadas
- molho de tomate
- azeite

Modo de fazer
Pique tudo, inclusive o azeite.
Aqueça o azeite até ferver e despeje tudo picado, menos o tomate. Mexa até dourar. Adicione as pimentas e os tomates. Aqueça mais um pouco... adicione o molho de tomate e fique apimentado!